Quinta-feira, 14 de Novembro de 2019
Matérias-Primas

Soja tem pregão de alta e puxa preços no mercado brasileiro
Campinas, SP, 09 de Agosto de 2017 - O mercado internacional da soja trabalhou em alta durante todo o pregão desta terça-feira (8) na Bolsa de Chicago, porém, amenizou seus ganhos no final dos trabalhos. As posições mais negociadas terminaram o dia com pequenas altas de pouco mais de 3 pontos e o novembro/17 valendo US$ 9,73 por bushel.

Ao mesmo tempo, no Brasil, o dólar também registrou um leve ganho - 0,15% - nesta terça e encerrou o dia com R$ 3,13.

"O mercado está mais otimista, mas a pergunta que se faz é se a reforma da Previdência conseguirá ser votada com o capital político atual do presidente (Michel) Temer", afirmou o analista-chefe da corretora Rico, Roberto Indech à agência de notícias Reuters.

Essa combinação, mais uma vez, deu espaço para certa recuperação dos preços da soja no mercado brasileiro neste início de semana e o avanço das cotações foi bastante expressivo nesta terça.

No interior do país, as altas chegaram a passar dos 3% em algumas praças de comercialização, como foi o caso de Rondonópolis/MT, onde o preço foi a R$ 60,50 por saca, com ganho de 3,42%, ou Alto Garças, com um avanço de 3,08% para R$ 60,30 por saca.

Nos portos, porém, os preços seguem mantendo sua estabilidade. No porto de Paranaguá, R$ 71,50 no disponível e R$ 71,00 para a safra nova.

Como explica o analista de mercado Marlos Correa, da Insoy Commodities, os produtores brasileiros seguem ainda afastados de negócios muito intensos também à espera de uma melhor definição do mercado internacional, já que a nova safra americana está em sua fase de conclusão e agosto é o mês mais determinante para a cultura no país.

"A comercialização para dentro da porteira exige definir o seu preço alvo. E as médias que os produtores estão colocando estão difíceis de serem alcançadas por conta dessa volatilidade do mercado internacional", diz Correa.

Bolsa de Chicago

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe, no fim da tarde desta segunda (7), uma nova alta no índice de lavouras de soja em boas ou excelentes condições no país - de 59% para 60% -, porém, o impacto sobre as cotações foi bastante limitado. O número, afinal, ficou dentro do esperado, como já havia alertado o analista de mercado Marcos Araújo, da Lansing Trade.

Além disso, os traders ainda vêm alguns pontos do Corn Belt com preocupação neste mês de agosto, como as Dakotas, parte de Illinois, de Iowa e do Nebraska, principalmente nesta semana, quando os mapas mostram acumulados de chuvas mais limitados para esses locais.

"A condição da safra não é tão ruim, mas está mais fraca do que o normal", diz Tobin Gorey, do Commonwealth Bank da Australia.

Assim, paralelamente, segue a preparação do mercado para o novo boletim mensal de oferta e demanda que o USDA traz nesta quinta-feira, 10 de agosto, com expectativas elevadas, especialmente, para os dados referentes à nova safra americana, de produção e produtividade. O mercado aposta em números menores se comparados ao reporte de julho, porém, reconhece o conservadorismo que o USDA carrega.

No caso do milho, as perdas estimadas pelas consultorias já chegam a 10 milhões de toneladas depois de um mês de julho complicado para a cultura. Sobre a soja, embora agosto seja o período crucial para a cultura, há perspectivas de perdas que vão de 1 a 3 milhões de toneladas.

Ainda sobre a oleaginosa no pregão desta terça, traders se apegam também a dados importantes das importações chinesas em julho, as quais foram recordes no mês ao alcançarem 10,08 milhões de toneladas.
(Notícias Agrícolas) (Carla Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 14/11
Guerra comercial entre EUA e China pode beneficiar o Brasil, dizem especialistas (17:07)
Boi: arroba e carne no atacado atingem patamares recordes (12:17)
A empresa de 65.000 famílias que concorre com BRF e JBS (11:24)
China suspende proibição de importação de carne de aves dos EUA (10:43)
China habilita terceirizado da BRF (10:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (10:03)
JBS tem lucro líquido no 3tri19 de R$ 356,7 milhões, revertendo prejuízo (09:45)
ABPA e Apex-Brasil promovem ação em evento de autoridades sanitárias da China (09:42)
China habilita terceirizado da BRF (09:18)
Milho será fiel da balança para colheita recorde de grãos (09:04)
Frango: com maior liquidez, preço da asa atinge recorde (08:30)
Suínos: valor do leitão é recorde nominal (08:20)
Soja tem 5ª feira de pouca movimentação na Bolsa de Chicago, buscando direção (08:10)
Milho perde força em Chicago e reverte ganhos (07:39)
Soja: demanda interna paga melhor que a exportação na safra velha (07:38)
Quarta-Feira, 13/11
Investindo na avicultura latino-americana, Vaccinar patrocina VI Workshop Sindiavipar e apresenta palestra sobre performance reprodutiva de galos (14:39)
BRF avalia aquisições na Turquia para aumentar produção local (11:39)
Soja: mercado em Chicago se mantém inerte nesta 4ª feira (09:22)
Conab prevê novo recorde para safra brasileira de grãos com 246 milhões de t (08:23)
Ministra defende uso de tecnologia na agropecuária brasileira para ampliar mercado. (08:18)
Resultados comprovados impulsionam as vendas da Oceana para premixeiras, cooperativas e fábricas de rações (08:05)
Frango: mercado atacado fecha terça-feira com alta de 3,81% (07:59)
Suínos: boas notícias para o setor aquecem cotações (07:57)
Com maior oferta e consumo em queda, preços da carne suína recuam na China (07:56)
USDA: colheita da soja e do milho ficam ligeiramente acima do esperado nos EUA (07:53)
Milho: preços sobem mais de 1% na B3 e mais de 3% no interior do Brasil nesta 3ª feira (07:51)
Soja precisa de notícias fortes sobre a demanda da China para se recuperar em Chicago e formar preços melhores no BR (07:49)
Novo leilão da CONAB oferta 50 mil toneladas de milho a criadores (07:07)
Terça-Feira, 12/11
Mais 13 frigoríficos brasileiros podem exportar carne para a China (15:54)
Abate de bovinos cresce 4% no 3º tri, diz IBGE; China impulsiona carnes do Brasil (14:32)
ABPA comemora novas habilitações de frigoríficos de aves e suínos (13:23)
Em 10 meses, exportações catarinenses de carne suína superam o faturamento de 2018 (13:21)
Milho: área plantada no verão deve crescer de 2% a 4% em 2019/20, prevê Abramilho (12:00)
Habilitação de frigoríficos é sinal de maior aproximação com árabes, diz executivo (08:03)
Arábia Saudita habilita oito novos frigoríficos brasileiros para exportação de carne bovina (06:05)
Emirados compram 175% mais carne bovina do Brasil (06:02)
Frango: alta apenas no atacado marca começo da semana com cotações mornas em demais setores (05:54)
Suínos: mercado fecha sem variação nesta segunda-feira (05:52)
Boi Gordo: poucos negócios nesta segunda feira (05:50)
Boi: mercado físico abre a semana com forte especulação altista (05:49)
Milho: Bolsa de Chicago encerra sessão com baixas nesta 2ª feira (05:46)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Soja: pessimismo sobre acordo China x EUA se intensifica e Chicago tem mais de 14 pts de baixa (05:43)
Segunda-Feira, 11/11
Encontre o time da APC no CBNA 2019 (11:45)
Exportações do agronegócio são recordes, mas faturamento externo cai (11:39)
Milho: demanda interna aumenta e impulsiona cotações (10:49)
Soja: grão se valoriza e indústria reduz processamento (10:47)
Vetanco Brasil reforça sua equipe técnica (10:29)
Soja começa semana operando em baixa na Bolsa de Chicago de olho na guerra comercial (10:18)
Ovos: exportações aumentam; no Brasil, pressão compradora limita altas (09:39)
Mercado de frango encerra a sexta-feira sem alterações expressivas (08:15)
Na B3, vencimento Dezembro/19 para o boi gordo encerra a 6ª feira a R$ 194,50/@ (08:05)
Receita das exportações de carne suína cresce 38,4% em outubro (08:00)
Milho sobe em Chicago na 6ªfeira após USDA reduzir safra, produtividade e exportações (07:36)
UFRA-PA abre processo para contratação de professores substitutos (02:46)
Sexta-Feira, 08/11
Suíno: altas de preços na granja e no atacado em São Paulo (13:40)
Milho segue desvalorizado em Chicago na espera por números do USDA (13:00)
Peru de Natal vai ficar mais caro na ceia de 2019 (12:30)
Andréa Silvestrim, Diretora do CBNA: “Com muita dedicação, estamos trazendo novos conceitos e tecnologias em nutrição para nosso próximo evento” (11:41)
BRF teve lucro líquido de R$ 293,9 milhões no 3º trimestre (11:32)
Faesc contra a tributação das exportações de produtos primários (10:40)
Milho: ofertas do cereal no mercado físico ficaram mais enxutas (10:20)
Soja: Chicago se mantém estável à espera dos novos números do USDA (10:16)
Biovet Vaxxinova realiza reunião de alinhamento estratégico (09:56)
Puxadas pelo milho, exportações do agro atingem US$ 8,4 bilhões em outubro (08:04)
Frango: atacado continua subindo (07:20)
Suínos: resultados inexpressivos marcam mercado nesta quinta-feira (07:14)
Boi: vencimentos Jan e Fev de 2020 fecham a sessão com quedas na B3 (07:13)
Cotação da arroba do boi sobe em 90% das praças pecuárias (07:13)
Milho se desvaloriza em Chicago nesta quinta-feira com números fracos para a exportação (07:12)
Soja brasileira está mais competitiva que a americana com um diferencial de até US$ 15/tonelada (07:10)
Produção de carne suína da China deve cair ao menos 20% em 2019, diz FAO (07:05)