Domingo, 26 de Maio de 2019
Exportação

Apesar de percalços, exportações de carnes devem se recuperar no ano
São Paulo, SP, 08 de Agosto de 2017 - Após um semestre difícil de esquecer em razão do acúmulo de notícias negativas no setor, os exportadores brasileiros de carnes começaram a segunda metade do ano mais otimistas. Tudo indica que os efeitos deletérios da Operação Carne Fraca - deflagrada em março pela Polícia Federal - se dissiparam, o que já impulsionou os embarques de carnes de frango e bovina no mês passado.

Embora o espectro das investigações policiais ainda gere apreensão, sobretudo após as revelações da delação dos executivos da JBS, analistas e executivos do setor acreditam que as exportações deste semestre podem compensar a queda no primeiro.

"O mês de julho foi excepcional", disse o analista César Castro Alves, da consultoria MB Agro. Em julho, os embarques de carne bovina in natura somaram 106,3 mil toneladas, crescimento de 29%. No caso da carne de frango, o aumento foi de 6,2%, para 385 mil toneladas, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic).



Em termos de rentabilidade, os exportadores de carne bovina estão no melhor momento desde janeiro de 2006, segundo a MB Agro. Impulsionado pela queda do preço do boi para abate, o "spread" na exportação - indicador de margem bruta que apura a diferença entre o preço da carne exportada e o do boi - está em 25%, ante uma média história de 5%, disse Alves.

Além disso, a demanda externa, que vinha patinando nos primeiros meses do ano. Importadores relevantes como o Egito, que reduziu drasticamente as compras desde o último ano devido à escassez de dólares, retomaram as compras da carne brasileira. Em julho, os egípcios importaram 17,3 mil toneladas de carne in natura, ficando só atrás de Hong Kong entre os importadores.

Conforme uma fonte do setor, as compras do Egito aumentaram porque os importadores do país africano passaram a pagar antecipadamente pelos novos pedidos de carne bovina. Com isso, o Egito já mais do que compensou o efeito negativo do embargo dos Estados Unidos à carne bovina in natura do Brasil, acrescentou o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadores de Carnes (Abiec), Antônio Camardelli. Ao longo dos próximos meses, prosseguiu Camardelli, as vendas ao Egito devem continuar aquecidas. Além disso, a Abiec também trabalha com a perspectiva de retomar as vendas aos americanos ainda neste ano.

"A despeito de todos os acontecimentos, a expectativa é fechar 2017 igual ao ano passado", afirmou Camardelli, sinalizando que os embarques dos próximos meses seguirão em alta, anulando o efeito da queda de 5% nas exportações de carne bovina do acumulado entre janeiro e julho. Segundo dados da Secex compilados pela Abiec, o Brasil exportou 781,3 mil toneladas de carne bovina entre janeiro e julho, ante 818,2 mil toneladas vendidas um ano antes.

Em carne de frango, o momento também é de recuperação. De acordo com Alves, da MB Agro, os embarques do produto brasileiro estavam "engasgados", mas o cenário melhorou em julho. Aparentemente, afirmou o analista, a queda dos preços do milho fez os frigoríficos de carne de frango ganharem tanta margem que eles decidiram dar descontos nas exportações para aumentar o volume embarcado em julho.

De fato, julho foi o melhor mês para os exportadores de carne de frango desde a deflagração da Operação Carne Fraca, ressaltou o presidente-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), o ex-ministro da Agricultura Francisco Turra.

Para a ABPA, o segundo semestre deve ser positivo para o setor. Conforme Turra, os países que seguraram as compras do produto brasileiro após a Operação Carne Fraca compraram pouco volume dos principais concorrentes do Brasil no mercado internacional - Estados Unidos e Tailândia. A maior parte deles, como o Japão, aproveitou o momento para consumir o estoque que estava elevado. Agora, com os estoques menores, os importadores retomaram as compras.

Em julho, o Japão já se destacou, ressaltou Turra. No mês passado, o país asiático comprou 36,2 mil toneladas de carne de frango do Brasil, incremento de 55% na comparação com julho de 2016.
(Valor Econômico) (Luiz Henrique Mendes)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Domingo, 26/05
Sexta-Feira, 24/05
MSD Saúde Animal promove 2° Encontro Empresarial na Europa para experiências com Innovax ND-IBD (10:40)
Frango: exportação aquecida diminui oferta interna e eleva preços (10:16)
ABPA comemora renovação de cotas de importação do México para aves (10:11)
IPCA-15 foi de 0,35% em maio (10:09)
Confiança do Agronegócio encerra 1º trimestre otimista (09:23)
Safra de grãos do Paraná poderá chegar a 37 milhões de toneladas (09:06)
Balança comercial do agronegócio deste ano não repete o recorde de 2018 (08:59)
Ministério busca ampliar número de frigoríficos aptos a exportar à China (08:46)
EUA confirmam ajuda de até US$ 16 bi a produtores (08:42)
Mercado do Boi: compradores fazem oferta de compra abaixo da referência em boa parte das praças pecuárias (08:37)
Exportação de milho do Brasil, mais competitivo que o dos EUA, deve ganhar ritmo (08:28)
Suínos: preço do milho sobe, mas média ainda favorece relação de troca (08:17)
Boi: exportações de carne seguem em ritmo acelerado (08:16)
Pecuaristas ainda com poder de cadenciar vendas, mais China, seguram a @ do boi (08:14)
Milho se desvaloriza em Chicago (08:12)
Soja tem leve avanço em Chicago nesta 6ª feira (08:04)
Acordo entre UE e Mercosul leva pânico a produtores de carne franceses (08:00)
Projeto Campo Futuro levanta custos de produção agropecuária em Santa Catarina (07:40)
Governador do Paraná conhece abatedouro avícola daUnitá (07:39)
Brasil manda lista de 30 frigoríficos indicados a exportar para a China (07:36)
Quinta-Feira, 23/05
Conferência FACTA WPSA-Brasil marca os 30 anos da entidade e coloca a avicultura brasileira em evidência (09:21)
CEO da Aviagen explora “Responsabilidade de Alimentar o mundo”, tema da Conferência FACTA 2019 (09:00)
ICC Brazil reforça o seu compromisso com as universidades (08:48)
Nova fórmula reduz fretes para os grãos (08:47)
Queda não será generalizada (08:46)
Queda não será generalizada (08:46)
Americanos obtêm mais carne bovina com rebanho menor (08:40)
China quer habilitar apenas mais 20 frigoríficos brasileiros (08:34)
Mercado do boi: preços seguem andando de lado (08:05)
Soja opera estável nesta 5ª feira em Chicago (08:00)
Tereza Cristina: “Vamos democratizar mais o crédito agrícola” (07:33)
Abertura do CPAgro Copacol tem a participação de 1,7 mil pessoas (07:31)
Diretor-Geral da FAO: voto do Brasil vai para vice-ministro da agricultura chinês (07:31)
SRB debate futuro dos contratos agrários com Ministro do STJ (07:30)
Oeste catarinense busca internacionalização da região (07:28)
Milho se recupera durante a 4ª feira e registra 8º dia seguido de cotações em alta na Bolsa de Chicago (07:05)
Soja fecha em alta na CBOT nesta 4ª feira (07:00)
Quarta-Feira, 22/05
SP: preços agropecuários caem 0,43% na primeira semana de maio (11:14)
5ª FAVESU: maior evento de avicultura e suinocultura do ES será em junho (11:03)
Regulamento traz organização e transparência para o Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos (09:36)
Yes amplia equipe e anuncia novo gerente comercial para o Brasil (08:47)
Venda de participação em ativos no Oriente Médio no foco da BRF (08:27)
Mercado do boi: alterações pontuais nas cotações (08:15)
Peste suína africana na China deve dar suporte aos preços da carne nos Estados Unidos (08:10)
Milho fecha terça-feira em alta pela sétima sessão seguida (08:05)
Soja: mercado inverte movimento e fecha em queda na 3ª feira (08:00)
Matopiba deverá ser o principal fornecedor de milho brasileiro para o México (07:17)
Terça-Feira, 21/05
Marcas apostam em 'carne vegetal' no país (15:39)
Safeeds apresenta linha de conservantes na Fenagra 2019 (15:35)
Vetanco do Brasil promoverá o produto Uniwall MOS 25 no Simpósio Goiano de Avicultura (09:23)
PIB do agronegócio brasileiro mantém queda no primeiro bimestre do ano (09:15)
PIB do agronegócio caiu no 1º bimestre, diz Cepea (09:10)
SC: exportações do agronegócio crescem 7,7% em 2019 (08:00)
Boi recupera a estabilidade em SP e a mantém em outras praças (07:55)
Milho: produtores se retraem e preços voltam a subir no Brasil (07:51)
Soja segue em alta nesta 3ª feira em Chicago refletindo plantio lento nos EUA (07:50)
Soja: cotações têm forte alta no Brasil e nos EUA (07:49)
Comitiva visita Santa Catarina visando à Rota do Milho (07:29)
Controle de gastos para otimizar a produção e ajudar na negociação (07:28)