Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
Saúde Animal

Conselho Internacional de Avicultura adota posição pelo uso racional de antimicrobianos
São Paulo, 19 de Maio de 2017 - Em uma decisão histórica, o Conselho Internacional de Avicultura (IPC, sigla em inglês), adotou uma posição global, pelo uso responsável e eficaz de antimicrobianos na produção avícola mundial. A decisão pelo alinhamento entre os países associados à organização – que reúne 84% da produção avícola mundial – ocorreu durante encontro realizado no fim de abril, em Cartagena, na Colômbia.

O documento estabelece um caminho baseado em informações científicas que possa ser seguido pelas indústrias e que resguarda a eficácia do uso de antimicrobianos ao mesmo tempo que trata sobre resistência a antimicrobianos, bem-estar animal, segurança do alimento e preocupações dos consumidores.

“O IPC reconhece que a resistência antimicrobiana é uma preocupação global e que a indústria avícola deve adotar práticas que reduzam o uso de antimicrobianos para os quais a resistência possa se mostrar um risco global”, disse o presidente do IPC, Jim Sumner. “Nós também devemos educar o público sobre essas questões”.

A Secretária Geral do IPC, Marilia Rangel Campos, disse que o documento encoraja o setor avícola mundial a ser pró-ativo em seu engajamento com stakeholders e a “implementar práticas que avancem nos objetivos de “One Health” que possibilitem termos pessoas, animais e meio-ambiente saudáveis”.

Os membros do IPC iniciaram as discussões sobre o documento em Portugal, durante a conferência do segundo semestre, e finalizaram os trabalhos em Cartagena, Colômbia, em abril desse ano.

“Uso responsável de antimicrobianos é essencial”, disse Ricardo Santin, Vice-presidente do IPC e Vice-presidente da ABPA. “Como setor, devemos entender e controlar por que e quando utilizamos antimicrobianos, quais estão sendo usados, quanto se usa, e sermos transparentes na comunicação de nossas ações.”

Santin disse que a indústria deve estabelecer prioridades para o uso de antimicrobianos para conseguir um equilíbrio entre reduzir a necessidade de utilizar esses medicamentos e prover o melhor tratamento possível aos animais.

OBRIGAÇÃO ÉTICA
O IPC também reconhece a obrigação ética de produtores e seus veterinários de proteger a saúde e bem-estar das aves sob seus cuidados, o que pode incluir o uso de responsável de antimicrobianos. Eles enfatizaram que a cadeia avícola global tem a responsabilidade de assegurar a minimização da possível contribuição da indústria ao desenvolvimento de resistência antimicrobiana.

“Nós discutimos e recomendamos fortemente que todos os antimicrobianos só sejam utilizados se tiverem autorização dos órgãos reguladores nacionais, e que aqueles antimicrobianos que tem importância crítica para a medicina humana só sejam utilizados para fins terapêutico e sob supervisão e diagnóstico de um médico veterinário”, disse Prasert Anuchiracheeva, da Associação Tailandesa de Avicultura.

“Nós não temos todas as respostas sobre como e se o uso de antimicrobianos na produção animal contribui para o desenvolvimento de resistência”, disse Paul Lopez, presidente da Avec, associação europeia de avicultura.

“Nós sabemos que o IPC tem um papel central na compreensão e mitigação do impacto do setor avícola. Os membros do IPC têm o dever de produzir produtos seguros e nutritivos, e dentro dessa premissa, está a manutenção de aves saudáveis e bem tratadas.”

Sumner disse que o IPC e seus associados vão se engajar ativamente com organizações intergovernamentais, governos, e stakeholders para ajudar a construir uma política pública que trate do tema da resistência antimicrobiana.

“Nós queremos trabalhar com a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), Organização Mundial de Saúde (OMS) e Codex Alimentarius para garantir que o tema seja discutido coletivamente e para que possamos fazer uso de antimicrobianos de maneira responsável e somente quando necessário”, disse.
(ABPA) (Assessoria de Comunicação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Sexta-Feira, 24/11
Bayer é parceira da Aurora em evento com produtores de matrizes e incubatórios (11:31)
FACTA promove curso sobre salmonella e campylobacter na avicultura, com a participação da Biocamp (11:17)
Anec eleva previsão de exportação de milho do Brasil para 33 mi t em 2017 (11:05)
O agro é pop. E os ruralistas? (09:12)
Quinta-Feira, 23/11
Encontro com empresários espanhóis acontece em Porto Alegre (11:30)
Asgav e Ovos RS apoiam atleta de Triathlo para uma prova de destaque mundial (11:25)
AB Vista amplia time de serviços técnicos e apresenta nova contratação para área de engenharia (10:27)
Após impasse, BRF confirma Drummond como CEO (09:04)
PR e MS querem pôr os grãos nos trilhos (09:02)
Quarta-Feira, 22/11
Cargill Nutrição Animal reúne avicultores para discutir minimização do impacto das micotoxinas (15:28)
Workshop Vaccinar Fábrica de Rações acontece em novembro com sete palestras impactantes (11:49)
Gastos com nutrição sobem e custos de produção de suínos e de frangos de corte têm nova alta em outubro (11:36)
Projeto aprovado na CAE disciplina repasse de recursos para defesa agropecuária (11:34)
V Workshop Sindiavipar: Setor avícola comemora expectativa de crescimento de 2% em exportações em 2017 (11:30)
Governo Trump pode entregar de bandeja 115 milhões de consumidores para o Brasil (09:02)
Indústria de frango tem cenário favorável para pôr "casa em ordem", diz Itaú BBA (08:51)
Apesar de embargos, Rússia depende de carnes do Brasil (08:48)
Queda da oferta de milho pode superar expectativas (08:46)
Terça-Feira, 21/11
MSD Saúde Animal entra no mercado de postura comercial com nova contratação (16:03)
BioCamp passa por momento especial com nova campanha de marketing (10:48)
Oferta agrícola gera tensão em países da UE (08:43)
Rússia confirma embargo a quatro frigoríficos de carne suína (08:42)
Segunda-Feira, 20/11