Segunda-feira, 29 de Maio de 2017
Matérias-Primas

Milho: mercado interno segue pressionado
Campinas, SP, 20 de Abril de 2017 - No mercado interno, as cotações de milho permanecem pressionadas negativamente. Segundo levantamento realizado pelo economista do Notícias Agrícolas, André Lopes, em Sorriso (MT), a saca caiu 9,38% e terminou o dia a R$ 14,50. No oeste da Bahia, o preço recuou para R$ 28,50 a saca, com perda de 3,39%.

"A maior disponibilidade na temporada atual e a baixa liquidez continuam pressionando para baixo os preços do milho no mercado brasileiro. Em curto e médio prazos não estão descartadas quedas nos preços do cereal no mercado interno", destacou a Scot Consultoria nesta quarta-feira.

Além disso, a consultoria reportou que as cotações ainda podem ceder mais com a chegada da segunda safra ao mercado. Em muitos estados, os preços referentes à safrinha já estão abaixo do valor mínimo fixado pelo Governo para a saca do cereal.

Diante desse cenário, foi reportado no Diário Oficial da União nesta quarta-feira medidas de apoio à comercialização do cereal. Ao todo serão R$ 800 milhões para leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro), Prêmio para Escoamento de Produto (PEP), compra de contrato de opção de venda e repasse de contrato de opção de venda.

Em contrapartida, o valor subiu 4,00%, com a saca do cereal a R$ 26,00 em Castro (PR). Já no Porto de Paranaguá, a cotação futura registrou alta de 1,72%, com a saca a R$ 29,50.

Enquanto isso, na BM&F Bovespa as cotações apresentaram um fechamento misto. As primeiras posições da commodity subiram entre 0,28% e 1,75%, com o maio/17 negociado a R$ 28,45 a saca e o setembro/17 a R$ 27,89 a saca. Já as posições mais longas recuaram entre 0,10% e 0,83%.

Além do apoio vindo das medidas de apoio à comercialização, as cotações também se sustentam na valorização cambial. Ainda hoje, a moeda subiu mais de 1,09% e finalizou o dia a R$ 3,1472 na venda. Conforme dados da Reuters, os investidores cautelosos diante da cena política e possíveis dificuldades que o Governo Temer terá para aprovar a reforma da Previdência no Congresso Nacional.
(Notícias Agrícolas) (Fernanda Custódio)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Segunda-Feira, 29/05
Sexta-Feira, 26/05
Quinta-Feira, 25/05
Quarta-Feira, 24/05
Ação na China traz resultados positivos para exportadores de aves e de suínos (13:08)
Roberto Montanhini Neto assume Diretoria Comercial da Safeeds (11:07)
BRF pode acionar Justiça para obter reparação por possíveis prejuízos causados por JBS (09:47)
I Encontro Técnico em Avicultura será realizado em Setembro, na Paraíba (09:34)
Boehringer Ingelheim Saúde Animal leva alta tecnologia de Vaxxitek para a Conferência Facta 2017 (08:50)
CNA e APEX-BRASIL renovam acordo de cooperação técnica (08:27)
Mercado brasileiro de milho apresenta leves movimentações (08:00)
Soja: mercado interno busca ajustes (07:54)
Terça-Feira, 23/05
CONBRASUL 2017: marketing para o consumo de ovos no Brasil é tema de palestra durante o evento (14:38)
Turra assume a presidência do Conselho Empresarial Brasil-Rússia (14:07)
Em missão na África, ABPA defende imagem da Proteína Animal do Brasil (14:05)
PR: receita de exportações de frango cresce 15% no acumulado do ano (13:24)
Agronegócio paulista exportou 3,9% a mais do que em 2016, aponta Instituto de Economia Agrícola (11:44)
Aviagen patrocina Conferência FACTA 2017 (08:53)
Impasse ainda trava MP do Funrural (08:46)
Definidos os juízes do Concurso de Qualidade de Ovos de Bastos 2017 (08:30)
Soja: preços sobem no Brasil nesta 2ª feira, mas produtor já amplia alvo para novas vendas (08:00)