Quarta-feira, 25 de Abril de 2018
Empresas

Francesa InVivo compra controle da CCAB
São Paulo, 31 de Janeiro de 2017 -
O grupo francês InVivo, um dos maiores de cooperativas agropecuárias da França, colocou o Brasil de vez na mira de seu processo de internacionalização. A empresa francesa anuncia hoje a compra do controle da CCAB-Agro, Consórcio Cooperativo Agropecuário Brasileiro, de defensivos agrícolas. Com isso, marca sua estreia nesse segmento no país.

A CCAB-Agro é uma empresa de defensivos genéricos, criada em 2006 a partir da união de diversas cooperativas. Atualmente, são 18 cooperativas e dois grupos produtores reunidos, que atendem 55 mil agricultores em oito estados brasileiros. No ano-safra encerrado em junho de 2015 (último dado disponível), a companhia teve receita líquida de R$ 331 milhões.

As companhias não divulgaram detalhes da transação. O Valor apurou que a aquisição se deu por meio de um aporte de recursos na CCAB-Agro, por meio da qual a InVivo passou a ser majoritária. O grupo de cooperativas brasileira foi diluído, mas se mantém como acionista relevante da empresa. De acordo com fontes de mercado, a companhia francesa colocou aproximadamente R$ 220 milhões no negócio.

A InVivo atua em 30 países em diversos segmentos, com um total de 220 cooperativas e 300 mil agricultores associados. As atividades do grupo vão de agricultura, nutrição e saúde animal, controle biológico de pragas, trading, pools para compras de insumos, até varejo e vinhos. No ano fiscal 2015-2016, a receita líquida da companhia francesa totalizou € 6,4 bilhões.

No Brasil, está presente em nutrição e saúde animal, com a Neovia. Após a aquisição da CCAB-Agro, amplia o leque de atividades e, a partir dessa transação, outras oportunidades de sinergia serão avaliadas.

Jones Yasuda, presidente da CCBA-Agro, explicou, em entrevista que a transação é fundamental para dar escala à companhia, em especial diante do cenário de consolidação dos grandes grupos produtores das matérias-primas para os defensivos, como Basf, Bayer, DuPont, Syngenta, entra outras. "Com o negócio, a CCAB-Agro entra para um grupo que negocia volumes da ordem de US$ 1 bilhão com esses fornecedores. Nosso porte atual, nos permitia negociar US$ 150 milhões. É um grande salto", disse o executivo.

Atualmente, a CCAB-Agro tem autorização para comercializar 14 produtos formulados (prontos para uso pelo agricultor). A companhia tem mais 30 produtos formulados sendo avaliados para liberação. A expectativa de Yasuda é que, dentro de 18 a 24 meses, o portfólio para agricultores tenha mais do que dobrado de tamanho.

O aporte de capital da InVivo, segundo ele, é importante pois dá fôlego para a companhia enfrentar esse ciclo de aprovação, em especial num segmento que vive de dar crédito ao cliente. Entre ter as condições de oferecer o produto formulado e obter a certificação necessária pelo governo, o ciclo é longo, podendo levar até dois anos. Além disso, de 60% a 70% do custo dos produtos depende de insumos importados.

Em junho de 2015, a CCAB-Agro tinha R$ 290,4 milhões de compromissos com empréstimos e financiamentos e pouco mais de R$ 9 milhões em caixa.

O executivo espera que, dentro de três anos, a CCAB-Agro tenha triplicado a receita, o que significa se transformar num negócio bilionário. A busca por sinergias deve colocar os mercados de agricultura de precisão e de sementes na mira da parceria.

Além da escala que a transação com o grupo francês traz em volume, há ganhos de eficiência esperados. Segundo Yasuda, juntas CCAB-Agro e InVivo vão avaliar a oportunidade de montar uma infraestrutura para produção na China, com um time local dedicado ao acompanhamento do processo de produção e que busque as melhores condições.

Em nota, Thierry Blandinières, presidente do grupo InVivo, afirmou que a aquisição é importante para atuação na economia brasileira. Segundo o executivo, o plano da InVivo para 2025 prevê que o crescimento virá principalmente de um forte processo de internacionalização. Em setembro do ano passado, a InVivo, por meio da Neovia, adquiriu uma unidade de nutrição animal em Rondônia.

Agora, uma nova frente de atuação no Brasil se abre. O grupo francês e os agricultores brasileiros vão conviver na CCAB-Agro ambos com direito de veto em alguns temas. O sócios nacionais, por exemplo, têm direito de veto caso haja uma mudança muito significativa no escopo de atuação da companhia.
(Valor Econômico) (Graziela Valentini)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quarta-Feira, 25/04
Terça-Feira, 24/04
Zoetis participa do 19º Simpósio Brasil Sul de Avicultura (11:51)
CEO renuncia e abre caminho para guinada na gestão da BRF (09:46)
Com recuo de 5,4% na região Sul, PIB do agronegócio deve crescer só 0,7% no ano (09:30)
Milho: com atenções voltadas ao clima e a safra nos EUA, mercado encerra 2ª com leves altas na CBOT (08:06)
Soja fecha em queda nesta 2ª feira em Chicago e desaquece ainda mais ritmo das vendas no BR (08:00)
Segunda-Feira, 23/04
CEO da BRF renuncia ao cargo; diretor financeiro assume interinamente (20:14)
CNA intensifica ações para reverter crise da produção de aves e suínos (14:51)
Convenção marca a hora da virada da Vaccinar (11:30)
Cobb-Vantress realiza nova edição da Escola Técnica Evento será promovido de 23 a 27 de abril, na sede da companhia, em Guapiaçu (SP) (11:28)
Zoetis nomeia Renato Vilas Boas como novo diretor financeiro do Brasil e Sul da América Latina (09:33)
Banco do Brasil prorroga parcelas de custeio e investimento para avicultura e suinocultura (08:28)
FRANGO/CEPEA: queda no alojamento pode favorecer mercado (08:21)
OVOS/CEPEA: poder de compra do avicultor recua 40% em um ano (08:20)
SOJA/CEPEA: preços de farelo e óleo sobem, mas os do grão recuam (08:15)
Milho: diante da perspectiva de melhora no clima nos EUA, mercado recua 2% na semana em Chicago (08:05)
Soja inicia semana na tentativa de uma recuperação em Chicago nesta 2ª, mas ainda com estabilidade (08:00)
Sexta-Feira, 20/04
Instituto Ovos Brasil promove ação em restaurante na Zona Norte de São Paulo (14:03)
ABPA lamenta a suspensão da habilitação de 20 plantas exportadoras de carne de frango pela UE (08:27)
Embargo da UE é problema, mas não é o “fim do mundo”, diz Blairo Maggi (08:21)
Embargo da UE é confirmado e afeta 20 plantas (08:12)
Ministro reafirma ingresso na OMC para contestar barreiras da União Europeia (08:11)
Aberta consulta pública para normatizar destino de carcaças de suínos e aves (08:10)
Definido o conselho que tomará as rédeas da BRF (08:06)
Mercado brasileiro do milho apresenta ligeiras movimentações (08:05)
Soja: Chicago fecha próximo das mínimas em duas semanas e preços recuam no Brasil (08:00)
Quinta-Feira, 19/04
Veja quais são os 20 frigoríficos que foram proibidos de exportar frango para a UE (22:24)
Embargo europeu fará BRF rever planejamento de produção (22:04)
12ª edição do Simpósio da ACAV está confirmada para setembro (16:30)
Nutri&Aves: Cálcio e granulometria do calcário (14:48)
Custos de produção de suínos e de frangos de corte disparam em março (14:45)
Uma 'agroinflação' moderada em 2018 (10:07)
União Europeia deve proibir parte dos frigoríficos brasileiros de exportar frango para região (09:31)
Pedro Parente aceita ser o novo presidente do conselho da BRF (08:27)
Ministério da Agricultura retira suspensão da BRF e anuncia novos mercados para carne catarinense (08:22)
Mercado brasileiro do milho apresenta leves movimentações (08:05)
Soja: Mercado fecha com leve queda na CBOT (08:00)