Quinta-feira, 21 de Setembro de 2017
Exportação

Exportadores já pressionam Temer por TPP

Com saída dos Estados Unidos do bloco do Pacífico, produtore safirmam que governo brasileiro tem de correr para ‘ocupar espaços’
São Paulo, SP, 30 de Janeiro de 2017 - Após a desistência dos Estados Unidos da Parceria Transpacífico (TPP), o setor exportador brasileiro aumenta a pressão para que o governo aproveite a oportunidade e acelere negociações para tentar ocupar parte do espaço surgido após o passo atrás dos norte-americanos. Para exportadores, México, Japão e Canadá são alguns dos mercados com potencial a ser explorado imediatamente.

Com o lema “EUA em primeiro lugar”, o novo presidente Donald Trump tem anunciado medidas que confirmam as promessas heterodoxas que marcaram a campanha eleitoral. A perspectiva de um governo americano protecionista e contrário a acordos multilaterais agita setores exportadores, que já aumentam a pressão para que o governo acelere ações para ampliar o acesso a mercados. Esse pedido tem chegado com cada vez mais frequência às autoridades em Brasília.

Com a frustração das negociações para a TPP, exportadores concorrentes de outros países – como os de frango e suínos dos EUA ou café do Vietnã – não ganharão acesso facilitado aos mercados do grupo. Por isso, brasileiros acham que é preciso agir para ocupar esse espaço. “O governo precisa ir para cima e aproveitar a oportunidade. Esse é o caminho racional”, diz o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra.

A Parceria Transpacífico não era um acordo tradicional em que todos os países do grupo aceitam regras que valem para todos. Grosso modo, a TPP foi costurada como uma série de acordos bilaterais intragrupo. Assim, o impacto nas correntes de comércio não é linear, pois países negociaram condições distintas conforme o sócio.

Mesmo com essa especificidade, exportadores brasileiros são categóricos em defender que há várias oportunidades. Produtores de frangos e suínos, por exemplo, viam pouco espaço no México, que é grande e antigo importador dos EUA.

Café e milho. Percepção semelhante está entre os exportadores de café e milho. O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café e o segundo em milho. Com o modelo antigo da TPP, grandes importadores como EUA, Japão e Canadá teriam acesso facilitado ao café do Vietnã e do Peru. No milho, os brasileiros perderiam espaço para grãos exportados por Peru, EUA e México. “Mesmo que o Brasil não ganhe imediatamente nesses casos, a TPP passa a ser importante porque seus parâmetros poderão servir de base para o Brasil negociar futuramente com esses países”, diz a superintendente de relações internacionais da Confederação Nacional da Agricultura, Lígia Dutra. Há também oportunidades para a indústria, com casos mapeados nos setores de máquinas e equipamentos, que poderiam ganhar mercado no Canadá.
(O Estado de S. Paulo) (Redação)
Imprimir esta notícia...
|
Deixe aqui sua opinião, insira seus comentários.
O espaço também é seu!

Quinta-Feira, 21/09
ABPA e PEIXE BR debatem questões dos setores de aves, suínos, ovos e peixes (15:45)
Cooperativa Central Aurora Alimentos é a maior exportadora do Sul do Brasil (14:44)
Big Dutchman aposta no potencial produtivo da América Latina e anuncia novo Diretor Regional (11:43)
Semana dedicada ao ovo destaca saúde e bem-estar (11:33)
Cooperativa C.Vale abre vagas de trainee (10:48)
Congresso Latinoamericano de Avicultura homenageia Nestor Freiberger e Paulo Martins (10:02)
Formada comissão científica que dará consultoria em tecnologia da Inspeção (09:44)
Agronegócio brasileiro sofre com crise na Venezuela (08:14)
Milho: pequena alta em Chicago (08:07)
Soja realiza lucros em Chicago nesta manhã de 5ª feira e sente pressão do dólar (08:00)
Quarta-Feira, 20/09
Grupo Pão de Açúcar e IOB unidos na Semana do Ovo 2017 (14:00)
Cargill Nutrição Animal orienta como melhorar a rentabilidade com formulação de precisão na produção de aves (10:47)
Paraná lidera produção de proteína animal no País (09:21)
Nutriad nomeia Business Development Manager (08:48)
Por unanimidade, João Martins é eleito Presidente da CNA (08:22)
Resolução sobre Funrural adiciona lentidão a mercados de grãos do Brasil (08:15)
Soja em Chicago trabalha com leves altas nesta 4ª feira à espera de novidades fortes (08:06)
Soja em Chicago trabalha com leves altas nesta 4ª feira à espera de novidades fortes (08:06)
Safra 2017/18 pode ter maior colheita de soja já registrada em Santa Catarina (08:00)
Terça-Feira, 19/09
Gilberto Tomazoni vira COO (11:43)
Cobb-Vantress e Prefeitura de Água Clara inauguram creche para 280 crianças (09:20)
Governo aposta em exportação recorde de milho neste ano (08:15)
Mercado brasileiro do milho apresenta leves valorizações nas cotações (08:06)
Soja dá continuidade à estabilidade na Bolsa de Chicago nesta manhã de 3ª feira (08:00)
Segunda-Feira, 18/09
Agri Stats inicia trabalho de benchmarking com a GTFoods (14:24)
Instituto Ovos Brasil apresenta novidades para Semana do Ovo 2017 (11:22)
Nestor Freiberger receberá homenagem no Congresso Latino Americano de Avicultura (10:56)
Edição aborda a questão de uma boa liderança nas empresas (10:15)
Como os taninos de quebracho e castanheira melhoram a produção avícola (09:50)
Fundador volta ao comando da JBS (09:40)
Legislação para produtos de origem animal protege saúde pública (09:31)
Cobb-Vantress anuncia novo diretor mundial de Qualidade e Serviços Veterinários (08:53)
Milho fecha a 6ª (15) sem reação nos EUA, com alta acima da média na BM&F e mais forte no PR (08:04)
Soja: mercado em Chicago inicia semana com leves altas e atento ao clima no Brasil nesta 2ª feira (08:00)
Sexta-Feira, 15/09
Desafios sanitários e perspectivas econômicas serão temas de evento da indústria avícola em Cascavel (11:12)
JBS: bancos buscam interessados em negociar com a empresa (08:53)
Prisão de Wesley, da JBS, paralisa vendas no mercado de boi (08:50)
Entidades empresariais criticam proposta de piso de frete rodoviário (08:47)
Aviagen nomeia Eduardo Souza como Vice Presidente de Pesquisa & Desenvolvimento na América do Norte (08:42)
Iagro ministra treinamentos sobre influenza aviária a avicultores de MS (08:32)
OVOS/CEPEA: exportações recuam 61% em 2017 (08:20)
FRANGO/CEPEA: embarques reduzem oferta de carne e preços sobem no BR (08:18)
Soja fecha acima dos R$ 71 nos portos nesta 5ª com ganhos de mais de 14 pts na Bolsa de Chicago (08:00)