Matérias-Primas

Terça-feira se encerra com queda nas cotações do milho em Chicago

A terça-feira (09) chegou ao final com os preços internacionais do milho futuro contabilizando perdas na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram desvalorizações entre 6,00 e 7,00 pontos. O vencimento julho/19 foi cotado à US$ 4,31, o setembro/19 valeu US$ 4,32 e o dezembro/19 foi negociado por US$ 4,37. Segundo informações da Agência Reuters, os contratos futuros de milho em Chicago caíram na terça-feira, depois que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) elevou sua condição de classificação para grãos e um clima mais favorável às colheitas foi previsto no Centro-Oeste. De acordo com a análise de Brce Knorr da Farm Futures, o milho não conseguiu se recuperar após uma abertura menor durante a noite. “Os vendedores se concentraram no relatório de progresso de safra de segunda-feira, que mostrou melhora na porcentagem da safra classificada como boa a excelente em nível nacional. No entanto, quando vistos de acordo com os rankings do nível estadual, nossa estimativa do potencial de rendimento realmente caiu levemente”, aponta Knorr. Para o analista, os traders também estão se posicionando para o que se espera que seja um número recorde de baixa do USDA nos relatórios de produção, demanda e oferta na próxima quinta-feira. “É provável que o governo aumente sua previsão tanto para o antigo quanto para o novo cultivo de safras. A cifra de 2018 deve ficar mais alta com a desaceleração das exportações, enquanto os estoques das novas safras refletirão a previsão de área do USDA maior que a esperada para 28 de junho, a menos que a agência reduza novamente sua estimativa de rendimento para compensar a área cultivada”, avalia Knorr. O clima também interfere no mercado. Os futuros de grãos dos EUA subiram na segunda-feira após as previsões de clima quente e seco no Meio-Oeste dos EUA nos próximos dias, aumentando a preocupação de que as culturas de milho e soja plantadas tardiamente possam ser ressaltadas. Mas algumas previsões na terça-feira incluíram algumas chuvas no final da semana. “Não sabemos exatamente o que fazer com esse clima. O ar seco pode ajudar, mas também pode prejudicar as plantações”, disse Ted Seifried do Grupo Zaner. Mercado interno No mercado físico brasileiro, a terça-feira acaba com as cotações permanecendo sem movimentações, em sua maioria. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, a única praça que apresentou valorização foi Sorriso/MT disponível (8,33% e preço de R$ 26,00). Já as desvalorizações foram percebidas em Pato Branco/PR (1.60% e preço de R$ 30,70), Ubiratã/PR, Londrina/PR e Cascavel/PR (1,69% e preço de R$ 29,00), Castro/PR (2,70% e preço de R$ 36,00) e Sorriso/MT balcão (6,25% e preço de R$ 22,50).

(Notícias Agrícolas) (Guilherme Dorigatti)



Visite  www.ovosite.com.br  - O Portal do Ovo na Internet